segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

LUZ DO AMANHECER

Em todos os âmbitos
Nas esferas diversas
Dos campos
de produção
Não faltam pessoas
Estrategicamente colocadas
Para criticar.
Sua simples presença
Provoca desconforto em muitos.
São os "censores permanentes",
os "juízes ostensivos", 
os "críticos implacáveis"
da obra alheia.
Defendem a causa 
do "eu entendi que"
qual se coubesse neles
a verdade suprema.
Estão sempre presentes
- para julgar.
Nunca perto
- para auxiliar.
São hoje
Os escribas e fariseus de ontem,
Hipócritas sempre.
Mas vem aí
Luz do amanhecer:
É tempo de trabalhar
- Agora
Para colher mesa farta
De bênçãos inextinguíveis
- Depois.
Deixe-os, então.
Prossiga apesar deles
Prossiga sem eles
Faça tua parte
A tua melhor parte
Na obra do coração.
Terás então a promessa
Do Cristo
em ti mesmo cumprida:
Por teres bem escolhido
Ela não te será tirada.

(André Luiz, Espírito Protetor, Lori Damm, Instituto André Luiz, 23/01/2021)

"A cada dia basta seu mal", lembrou Jesus na encantadora exortação sobre os lírios do campo, em Mateus 6:26-34.
Lembrou que não devemos andar preocupados com o amanhã porque cabe ao amanhã cuidar de si mesmo.
Neste contexto podemos inserir também as contendas, as dissenções, as contrariedades, as más noticias e o que dizem de nós, contra nós.
As apreciações alheias costumam nos preocupar e, quando acontecem de forma negativa, causam aborrecimento e desejo de revide.
Mas se erguermos a barreira da prece sempre que lembrados pejorativamente por alguém ou por um grupo de pessoas, nada teremos a ver com eles, visto que o mal ficará circunscrito aos seus portadores.
Não precisamos e nem devemos nos sobrecarregar com negatividades que não nos pertencem.
A prece é a barreira sã nos levando ao perdão e consequentemente à paz e tranquilidade de espírito.
Falar mal ou provocar é problema de quem o faz.
Começa a ser nosso problema apenas quando revidamos.

Boa semana, Jesus nos abençoe a todos!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

CORPO, MENTE E ESPÍRITO - A TRÍADE HUMANA

O Homem é a tríade corpo-mente-espirito. Se unindo, as três partes formam a unidade viva.
Para adquirir conhecimento e experiência, e chegar à perfeição, ele deve aprimorar-se integralmente nas três formas.
Seja no solo, na Erraticidade ou no Mais Alto, ele é fruto, assim como todos os seres da Terra, de experimentos que datam a tempos imemoriais, fora do alcance de nosso entendimento por ora.
De quantas experiências, ao longo de eras incontáveis, é o homem-tríade a sua soma mais perfeita?
Quantas formas tiveram que ser descartadas até se chegar ao resultado atual? E será esta a forma a definitiva?

Alerta-nos o entendimento que não.

Há longos, demorados e dolorosos processos a frente, ainda, sem que se estabeleçam por definitivos pois que na forja incandescente da Criação ainda se testam, se experimentam, se adequam e se ajustam alternativas ao perfeito desenvolvimento do ser humano.
Porém, não obstante o infinito cuidado do Mais Alto com as criaturas, onde estejam momentaneamente domiciliadas, cabe a elas - e apenas à elas, cuidar de sua própria educação, atentando às necessidades de acrisolamento de cada parte da tríade de que é composto.

- Precisa cuidar do corpo - domesticando seus instintos a medida que se espiritualiza.

- Precisa cuidar da mente - aprendendo a filtrar sugestões por entre incontáveis experiências.

- Precisa cuidar do espírito - assumindo como seu qualquer erro ou acerto na caminhada, reajustando lapsos e aprimorando virtudes.

É neste ponto que, observando o descompasso de muitos seres na grande marcha progressiva, sua indiferença e crueldade, sua frieza, seu orgulho e vaidade ceifando esperanças, presume-se que os experimentos prosseguem no sentido não de apenas melhorar o homem responsável e consciente que, cioso de sua grande responsabilidade e destinação avança a largas passadas, mas também de descartar aqueles que inflexivelmente desprezam os propósitos Divinos e não progridem como os demais.

Baseados nisso, fica um importante alerta a todos nós, encarnados e desencarnados:
Façamos a parte que nos cabe com diligência e alegria, e deixemos o "mal do mundo" a cargo da Justiça Divina, sem estacionar na crítica vazia daquilo que os "outros" estão realizando.
De nosso, basta-nos a inferioridade renitente, o ainda alto grau de ignorância e a obrigação de fazer melhor o que nos desagrada no semelhante.
Que ninguém se ache melhor que ninguém e nem se coloque acima de quem quer que seja.
Estamos todos juntos na forja da grande luta evolucional.
Que não se busque a celeuma, não se emita julgamento, que a ninguém se ridicularize.
Tecnicamente somos todos iguais, apenas em progressão diferenciada.
Que não se use a força do que se é, do que se tem ou do que se sabe para oprimir os outros,
Que não se dificulte a marcha dos semelhantes, que não se obstrua o adiantamento do Planeta e que, por capricho, arrogância ou impiedade, se detenha o progresso que é Lei Natural e acontecerá, queira o homem ou não.
Restando, porém, a rebeldia e a demora em avançar, pode acontecer que, ao modo das primeiras formas de vida que apareceram - e pereceram sobre a Terra, podem muitas formas de hoje não mostrar digno aproveitamento para o momento planetário.

Que aguardem, pois, o descarte.

Voltarão mais tarde em planos mais baixos, consonantes com suas inclinações grosseiras, para recomeçar a jornada e que haverá de ser cada vez mais excruciante."

(Instituto André Luiz, Lori Damm, 18/01/2021)

domingo, 17 de janeiro de 2021

SOCIEDADE HUMANA: FILTRO DO ESPÍRITO
Até o início da pandemia e que isolou em seus lares famílias inteiras, principalmente idosos e pessoas com comorbidades, a ideia de se insular vinha tornando-se cada vez mais atrativa e se transformando, para muitos, um modo agradável e sedutor de vida.Isolar-se começava a se mostrar indispensável se o quesito era viver em paz numa sociedade cada vez mais conturbada e vazia.Mas a pandemia chegou e mostrou o quanto precisamos uns dos outros, o quanto o OUTRO é importante para que se viva com um mínimo de saúde, dignidade e conforto.O quanto o outro é importante para a nossa felicidade!Ela trouxe de volta, para a grande maioria, o significado real da palavra saudade, e o sentido profundo destas três palavrinhas: "eu preciso de você".O isolamento separou parentes e reuniu famílias, colocou idosos frente a frente consigo mesmos, talvez pela primeira vez na vida, trouxe a redescoberta da convivência familiar para crianças e adolescentes, valorizou profissões realmente importantes e jogou no limbo temporário as que se alimentavam da futilidade humana.Mas acima de tudo, o OUTRO, aquele próximo, o que tinha algo a oferecer, uma possibilidade de ajuda ou companhia, estes foram positivamente valorizados. Hoje médicos, enfermeiros, garis e entregadores de comida pronta, por exemplo, são vistos com muito mais alegria e respeito do que uma celebridade da mídia. Aqueles que contam, de fato para o nosso crescimento e somam conosco nos caminhos da vida, estes categorizamos hoje como indispensáveis. Mesmo que isolados, não prescindimos mais deles porque sabemos da importância que eles possuem no nosso dia a dia.

A sociedade, num todo, amadureceu.
Ainda restam os retardatários, claro, aqueles que demoram a absorver uma lição e aqueles que parecem nunca aprender, mas estes a Providência Divina está tratando de ensinar ou separar de vez.
Eis porque Emmanuel fala que a sociedade humana é o grande filtro do Espírito.
É através dele que se depura a humanidade, que são depuradas ideias e posturas, que são revistos sonhos e ideais.
É na grande sociedade humana, da qual fazemos parte, que reside a nossa oportunidade de burilamento e elevação. Nos surpreendermos melhores, maduros e conscientes de nosso papel não apenas como indivíduos, mas como cidadãos de fato, é motivo para júbilo, para a sensação de degrau vencido.
Colhendo os frutos que nos são próprios, concorremos para a melhoria geral, tornando-nos aptos para colaborar, finalmente, na colheita derradeira do mundo, e que haverá de ser do Cristo.(Instituto André Luiz, 16/01/2021)

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

 

"ESTUDAR"
(Por Um Espírito Protetor)

"Estudar não será apenas cursar determinada disciplina.
Frequentar este ou aquele curso, faculdade, graduação
Estudar, antes de tudo, será abrir espaços mentais.
Deixar o conhecimento entrar
Analisar
Investigar
Aceitar ou não
Assimilar
Rejeitar
Prosseguir
Buscar mais
Recomeçar.

Estudar não será tão somente vasculhar livros
Estudar também é se observar atentamente
Na busca incansável do autoconhecimento.
Renovar-se
Corrigir-se
Compreender-se
Detectar desvios
Anotar acertos
Alegar-se
Observar em si áreas sombrias
Buscar a luz.

Estudar, acima de tudo, é absorver conteúdos
Que a Mestra Vida proporciona diuturnamente
Através de incontáveis lições
Estude o dia
Estude a noite
A sua essência
E composição
A sua forma
E conteúdo
Seus habitantes
Suas manifestações
Estude!

Então enfim estude livros, se quiser,
Assim como quem se apóia em braço amigo na escuridão
Por medo de tropeçar
Mas se empenhe em aprender por si,
A pensar por si, a andar por si
Com segurança e confiança
Como os que inspiram sua rota.
Não faça de sua mente mero repositório de cultura alheia
Conquite a sua no esforço constante da observação
Da análise acurada
Da necessidade de saber
De atingir culminâncias
E se iluminar
Aprender
Para então ensinar."
(Um Espírito Protetor, Psicografia Instituto André Luiz, 06/01/2021)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

CELEBRAÇÃO DE NATAL

"Ouça, alguém bate à porta,

Quem pode ser? quem será?

Os convidados chegaram

É hora de celebrar!

Mas a batida é insistente

Tem mais alguém para entrar

Um convidado atrasado,

Um presente inesperado

Comida para entregar?

"Não, eu já conferi tudo

E está tudo em seu lugar

Mas... estranho! algo aqui dentro

Me aconselha averiguar..."

Abro a porta sem paciência

Não quero a festa atrasar

E o que vejo a minha frente

Faz meu coração disparar!

Um homem de olhos doces

Me estende um cartão sem falar...

"O que o senhor deseja?

Esta é uma festa familiar!"

"Quero entrar em sua casa

E com vocês festejar!..."

"Mas não é meu convidado

Não posso deixá-lo entrar!"

"Tenho convite sim, olhe"

Me diz em doce sussurrar

Enquanto seus olhos mansos

Parecem me enfeitiçar.

"Não sou um desconhecido

Me conheces bem, afinal

Pois hoje é meu aniversário

E no convite está escrito:

Venha à celebração do Deus Vivo,

Jesus nasceu, é Natal!"

_____________________💗❤

"CELEBRAÇÃO DE NATAL"
Espírito Irmão Lúcio
(Psicografia do Instituto André Luiz)

quinta-feira, 29 de outubro de 2020



"A vida é feita de escolhas".
Quem já não ouviu esta frase? Seja como indicação ou ironia, ela é frequentemente citada. Coisas boas ou más podem ocorrer quando é preciso "escolher ou optar-se por algo".
Na Bíblia, Jesus a exemplifica quando de sua visita às irmãs de Lázaro. Marta, ocupada com afazeres domésticos, preocupa-se com a casa; Maria, aproveitando o sublime momento, ocupa-se em ouvir o Messias.
Marta reclama com Jesus, mas este a repreende docemente: "Maria escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada!"
A "melhor parte" é tudo aquilo que contém elementos reais ao nosso aprimoramento eterno.
Jesus trazia notícias do Céu para a Terra visando o engrandecimento dos homens para Deus. Enquanto Marta se distraía com as tarefas corriqueiras de limpar e cozinhar para a vida material, Maria higienizava e alimentava seu espírito com "palavras de vida eterna".
Assim podemos ver que realmente a vida é feita de escolhas... Como foi com as irmãs de Lázaro, também é conosco.
O crescimento ou a estagnação, a luz ou a sombra, são escolhas diárias nossas.
Alega o ser humano que o mal impera no mundo, é mais forte que o bem e por isso erramos tanto ainda, esquecendo que o bem envolve a Terra com a mesma força. O bem está disponível para todos nós desde sempre, envolvendo o mundo na forma de ensinamentos luminosos, acessíveis pela intuição e pelo pensamento, e por nossa decisão em acertar.
Deus gravou sua excelsa lei em nossas consciências, os Profetas a anunciaram, Jesus a ensinou e exemplificou.
O mal não é criação divina, é fruto apenas de nossas transitória imperfeição. Tende a desaparecer conforme evoluímos. Não é mais forte senão enquanto nos agrada.
Assim como Maria, para nossa felicidade eterna, vamos escolher a melhor parte, vamos escolher estar na Luz e dela fazer nossa estrada a partir e hoje.
O mal existe sim, e estará próximo de nós por muito tempo ainda, mas não precisa ser companheiro constante de nossa caminhada, a não ser que o queiramos.
Abracemos o bem, iluminando-nos para iluminar quem vem na retaguarda.
Escolhamos a "melhor parte" e ela não mais nos será tirada! (Instituto André Luiz, 29/10/2020)